Olido (São Paulo - SP)


60 ANOS DA INAUGURAÇÃO!

Inauguração solene : 12/12/1957
Inauguração pública : 13/12/1957
Filme inaugural :
"Tarde demais para esquecer", com Cary Grant e Débora Kerr.
Exibidor : Empresa Cinematográfica Paulista (Paulo Sá Pinto).
Depois, Empresa Sul Paulista.
Endereço : Av. São João, 473 - Centro
Capacidade : 1339 lugares
Projeção : 4 projetores da marca Philips

Fechou, em 18/07/1981, para reformas e divisão do cinema em três salas. Reabriu ao público em 30/10/1982, como Olido 1 (470 lugares), Olido 2 (300 lugares) e Olido 3 (300 lugares).
Houve uma pré-inauguração com sessão especial para convidados em 29/10/1982, às 20 horas.
Os projetores continuaram sendo Philips e o som Dolby Stereo.

Em setembro de 2004, o cinema passa a ser administrado pela Prefeitura de São Paulo, que transforma a Galeria Olido em um centro cultural. Apenas uma sala é aproveitada como cinema.
Em 2016, a única sala do cine Olido passa a fazer parte do
Circuito Spcine.
Telefone : (11) 3331.8399
E-mail : olido@circuitospcine.com.br
www.circuitospcine.com.br

Histórico :
O prédio onde funcionava o cine Avenida foi demolido e no lugar foi construído o Edifício Domingos Fernandes Alonso. Neste prédio havia uma galeria e nela ficava o acesso ao cine Olido (o primeiro a funcionar dentro de uma galeria).
O projeto inicial aprovado previa 1450 lugares, mas para melhorar a movimentação do público, a capacidade da sala diminuiu para 1339 lugares.
Os alto-falantes do cinema eram distribuídos sobre o forro do cinema, o que permitia melhor direção, distribuição e alcance sobre os espectadores.
Aproveitando a largura da tela necessária (16 metros) e o espaço disponível na frente do palco, foram criadas duas cortinas de movimentação, que permitiam a utilização do palco para shows, orquestras e pequenas representações.
As laterais da sala de espetáculos eram decoradas com monumentais arandelas.
Na inauguração, uma orquestra sinfônica apresentou o tema principal de "Tarde demais para esquecer" e, em seguida, acompanhou as cantoras Cidalia Meireles e Leila Cury, em diversas músicas.
No início, os ingressos eram vendidos antecipadamente, com reserva numerada, para evitar filas e havia apresentações de piano e orquestra antes das exibições cinematográficas.

Anúncio de inauguração - 11/12/1957

Anúncio de inauguração - 12/12/1957

Anúncio de inauguração - 12/12/1957

Anúncio de inauguração - 12/12/1957

Anúncio de inauguração - 12/12/1957

Anúncio de inauguração - 12/12/1957

Anúncio de 14/12/1957

Notícia de 20/12/1957 - Jornal "O Estado de S.Paulo"

Notícia de 29/10/1982 - Jornal "Folha de S.Paulo"

Anúncio de reinauguração - 30/10/1982


1957
1957
1957
1957
1957
1957
1957
1957
1957
1957
Licença Creative Commons
As fotos e informações deste site estão protegidas e licenciadas pela Creative Commons.

Arquivo do blog

ACESSE O BLOG INICIAL


BIBLIOGRAFIA DO BLOG

PRINCIPAIS FONTES DE PESQUISA

1. Arquivos institucionais e privados

Bibliotecas da Cinemateca Brasileira, FAAP - Fundação Armando Alvares Penteado e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Mackenzie.

2. Principais publicações

Acervo digital dos jornais Correio de São Paulo, Correio Paulistano, O Estado de S.Paulo e Folha de S.Paulo.

Acervo digital dos periódicos A Cigarra, Cine-Reporter e Cinearte.

Site Arquivo Histórico de São Paulo - Inventário dos Espaços de Sociabilidade Cinematográfica na Cidade de São Paulo: 1895-1929, de José Inácio de Melo Souza.

Periódico Acrópole (1938 a 1971)

Livro Salões, Circos e Cinemas de São Paulo, de Vicente de Paula Araújo - Ed. Perspectiva - 1981

Livro Salas de Cinema em São Paulo, de Inimá Simões - PW/Secretaria Municipal de Cultura/Secretaria de Estado da Cultura - 1990

FONTES DE IMAGEM

Periódico Acrópole - Fotógrafos: José Moscardi, Leon Liberman, P. C. Scheier e Zanella.

Acervos particulares de Luiz Carlos Pereira da Silva, Caio Quintino e Ivani Cury.

PRINCIPAIS COLABORADORES

Luiz Carlos Pereira da Silva e João Luiz Vieira.

OUTRAS FONTES: INDICADAS NAS POSTAGENS.