Esperia (São Paulo - SP)

LOCAL DE APRESENTAÇÃO DE VÁRIOS TIPOS DE ESPETÁCULOS, INCLUSIVE EXIBIÇÕES CINEMATOGRÁFICAS.

Theatro Esperia
Inauguração solene : 02/04/1914 (20hs.)
Proprietários : Anselmo, Pignatari e Cia.
Carlo Felice Anselmo (do The Edson Cinema), Francisco Pignatari e Adele Biaggi.
Depois, 01/01/1924, Empresas Cinematográficas Reunidas Ltda.
Endereço : Rua Conselheiro Ramalho, 132 - Bela Vista
Capacidade : cerca de 1000 lugares
Em funcionamento ? : Não. Encerrou as exibições cinematográficas em 29/05/1952.
Histórico :
Em 1954, o ator Sérgio Cardoso e sua esposa, a atriz Nydia Licia, caminhavam a pé pelo bairro paulistano do Bixiga, de madrugada, voltando das gravações do filme "O Incêndio", e descobrem na Rua Conselheiro Ramalho, o antigo cine teatro Esperia. Vislumbraram no velho casarão abandonado, escondido atrás de um tapume e em vias de ser transformado em um mercado ou uma garagem, a oportunidade de realizar um sonho e ter um teatro próprio. Contataram os proprietários do imóvel e formalizaram o aluguel do espaço por dez anos, com opção para mais cinco. O passo seguinte foi a busca de parceiros para a empreitada de reformar o edifício com o objetivo de transformá-lo no teatro mais moderno e confortável da cidade de São Paulo. Para tanto, convidaram os engenheiros Otto Meinberg e Ricardo Capote Valente, que aceitaram o desafio. Assim foi fundada a Empresa Bela Vista, que seria responsável pela reforma e administração do teatro. Em seguida, teve início uma exaustiva campanha para angariar sócios e fundos para concluir a obra. O teatro ficou pronto após dois anos de reformas e recebeu o nome de Teatro Bela Vista. O espetáculo de estreia, em 15 de maio de 1956, foi "Hamlet, Príncipe da Dinamarca", de Shakespeare. Em 1960, Sérgio Cardoso separa-se de Nydia Licia e sai do Teatro Bela Vista. Nydia mantém o teatro em funcionamento até o início dos anos de 1970, quando o prédio é entregue aos proprietários. Em 1971, o teatro é desapropriado e demolido.
Curiosidades :
O Theatro Esperia tornou-se famoso por causa dos grandes cenários que armava no salão de espera, na exibição de grandes produções. Ao anunciar "Grande Hotel", com Greta Gargo, fez-se construir um enorme hall de hotel, com balcão de atendimento para hospedes e muito mais. Era, também, o local escolhido para as festas sociais da comunidade e os concorridíssimos bailes carnavalescos.

Para mais informações, acesse :
"Inventário dos espaços de sociabilidade cinematográfica na cidade de São Paulo: 1895-1929", de José Inácio de Melo Souza.





04/06/1916
01/01/1924
01/01/1924
O teatro em 1954
O ator Sérgio Cardoso no Teatro Bela Vista
Licença Creative Commons
As fotos e informações deste site estão protegidas e licenciadas pela Creative Commons.

Arquivo do blog

ACESSE O BLOG INICIAL


BIBLIOGRAFIA DO BLOG

PRINCIPAIS FONTES DE PESQUISA

1. Arquivos institucionais e privados

Bibliotecas da Cinemateca Brasileira, FAAP - Fundação Armando Alvares Penteado e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Mackenzie.

2. Principais publicações

Acervo digital dos jornais Correio de São Paulo, Correio Paulistano, O Estado de S.Paulo e Folha de S.Paulo.

Acervo digital dos periódicos A Cigarra, Cine-Reporter e Cinearte.

Site Arquivo Histórico de São Paulo - Inventário dos Espaços de Sociabilidade Cinematográfica na Cidade de São Paulo: 1895-1929, de José Inácio de Melo Souza.

Periódico Acrópole (1938 a 1971)

Livro Salões, Circos e Cinemas de São Paulo, de Vicente de Paula Araújo - Ed. Perspectiva - 1981

Livro Salas de Cinema em São Paulo, de Inimá Simões - PW/Secretaria Municipal de Cultura/Secretaria de Estado da Cultura - 1990

FONTES DE IMAGEM

Periódico Acrópole - Fotógrafos: José Moscardi, Leon Liberman, P. C. Scheier e Zanella.

Acervos particulares de Luiz Carlos Pereira da Silva, Caio Quintino e Ivani Cury.

PRINCIPAIS COLABORADORES

Luiz Carlos Pereira da Silva e João Luiz Vieira.

OUTRAS FONTES: INDICADAS NAS POSTAGENS.