Vila Morro Grande (São Paulo - SP)

Endereço :
Rua Raimundo da Cunha Matos, 361 - Morro Grande

Artigo do jornal Pirituba News, edição nº 809
De 21/11 à 26/11/2015 :

Do apogeu nas décadas de 50/60 à 
'cidade fantasma'
Por Nivaldo Godoy - Memorialista e morador da Freguesia do Ó

A Vila Morro Grande, nome também de uma pedreira desativada, divisa com a Vila Brasilândia, região da Subprefeitura Freguesia do Ó, possui um pedaço abandonado, com construções fantasmas, perdidas no tempo, longe do apogeu sonhado pelo seu criador.

Na década de 1930, iniciou-se a exploração da Pedreira Morro Grande. Naquela época, para se chegar no local, o único caminho disponível era a antiga Estrada do Congo. O britador ficava no começo da referida estrada, hoje Avenida Elísio Teixeira Leite, na esquina com a Avenida Itaberaba, e os blocos de pedra eram transportados por carroças especiais puxados por mulas.

Nos finais dos anos 40, a britadeira foi desativada, com o asfaltamento da Estrada do Congo até a estrada da Pedreira, onde ainda hoje existe um portal. Foi mais ou menos nessa época que o nordestino Tomás de Mello Cruz casou-se com Dona Elza, filha do proprietário da pedreira.

Tomás de Mello Cruz vinha de uma renomada família, que no Nordeste explorava o ramo de tecelagem, e na Vila Morro Grande ele iniciou o seu grande império, construindo a Tecelagem Santo Eduardo Tecidos de Algodão Ltda. e implementando modernidade à exploração da pedreira.

Com as atividades da pedreira, atendendo a uma São Paulo em obras, assim como a tecelagem, a Vila Morro Grande passou a ser habitada pelos operários, com a criação de um pequeno comércio local.

Ao redor da tecelagem também era plantado café de qualidade, destinado a exportação.

Tomás de Mello Cruz, além dos empregos que gerava para a população local, era um benfeitor da região, contribuindo com diversas obras, inclusive pavimentando de cascalho de pedra inúmeras ruas de terra.

Homem notável e empreendedor, ele foi mais adiante. Nos anos 60, criou o internato Instituto Mairiporã, escola de formação ginasial e profissional, para os filhos de seus empregados.

Na Vila Morro Grande construiu uma moderna igreja, dedicada a Santa Clara, com grandes vitrais, piso em desnível, de forma que todo participante dos atos religiosos ali realizados tivessem ampla visão do altar, que ficava em destaque elevado, podendo ainda ser visto, nos fundos, o Pico do Jaraguá, de forma grandiosa.

E não é só! Tomás lá, também, construiu um charmoso cinema, onde além de exibição de filmes, cedia outras atividades sociais.

Todo dia, pontualmente, às 11 horas e às 16 horas, podia se ouvir, na região, o som das explosões do maciço das rochas da pedreira, feitas com dinamite.

Nos anos 80, a pedreira não pode mais continuar suas atividades e a tecelagem, por outros motivos, faliu.

A igreja e o cinema, atualmente, são obras fantasmas, deterioradas pelo tempo. O prédio da tecelagem segue o mesmo caminho e a plantação de café foi abandonada, tomada por ervas daninhas. Tudo diferente do apogeu e do que foi sonhado pelo seu criador.









Sala USP Maria Antônia (São Paulo - SP)

Endereço : Rua Maria Antônia, 294 - Vila Buarque
Telefone : (11) 3091.3540 - 9h às 17h.
Capacidade : 70 lugares
Sessões de segunda a sexta, às 16hs. e 19hs..
www.usp.br/cinusp

Sala Cinusp Paulo Emílio (São Paulo - SP)

Inauguração : 1993
Endereço : Rua do Anfiteatro, 181 - Colmeia - Favo 4
USP Universidade de São Paulo - Butantã
Telefone : (11) 3091.3540 - 9h às 17h.
Capacidade : 100 lugares
Sessões de segunda a sexta, às 16hs. e 19hs..
www.usp.br/cinusp

O CINUSP Paulo Emílio é uma sala de cinema gratuita e aberta ao público em geral, localizada no campus da capital, na Cidade Universitária. A programação é variada, contando com mostras temáticas produzidas por professores e alunos da universidade, seminários, debates, cursos, pré-estréias e parcerias com festivais de cinema.

Criado em 1993 pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da universidade, a sala leva o nome do professor, critico e escritor Paulo Emílio Salles Gomes que, além de ser um dos maiores pensadores do cinema brasileiro, implantou um dos primeiros cursos de Cinema do Brasil: o da Universidade de Brasília e, após seu fechamento, em 1967, ajudou a implantar o curso na USP.

O CINUSP tem como objetivo principal disseminar a cultura cinematográfica, estimular a pesquisa e o conhecimento, contribuindo assim para o adensamento permanente do ambiente universitário.


Ruy Laurenti, vice-reitor em 1993, na inauguração do cinema
A escritora Lygia Fagundes Telles (viúva de Paulo Emílio Salles Gomes) na inauguração do cinema

Nacional (São Paulo - SP)

Inauguração solene : 27/03/1950 (16h30)
Inauguração pública : 27/03/1950 (à noite)
Filme inaugural : "Monstro de Um Mundo Perdido", com Terry Moore e Ben Johnson.

Propriedade : Cia. Cinematográfica Serrador
No mesmo prédio funcionou os escritórios centrais da Cia. Serrador :
Julio Llorente (diretor-geral), Florentino Llorente (secretário-geral) e João Zeron (gerente-geral dos cinemas).

Endereço : Rua Clélia, 1517 - Lapa
Capacidade total : 3300 lugares
Aparelhos de som e projeção : Simplex

Em funcionamento ? : Não.
O cinema encerrou suas atividades no final dos anos de 1970.
No mesmo local, funcionou por muito tempo, a casa de shows Olympia. Agora, sedia uma igreja evangélica.

Curiosidades :
Meu avô Julio dos Santos foi funcionário deste cinema. 
Era lanterninha e cuidava do café.



Fotos : Revista "Acrópole" - Julho/1950
Casa de shows Olympia, depois do fechamento
Igreja evangélica
Igreja evangélica
Igreja evangélica

Nacional (São Paulo - SP)

Ato inaugural em 27/03/1950, às 16h30 :
Iniciou-se com o descerramento, na sala de espera, de um medalhão em homenagem a Francisco Serrador (08/12/1872 - 22/03/1941), fundador da Cia. Cinematográfica Serrador e do primeiro local criado na cidade de São Paulo para exibições cinematográficas, o Bijou Theatre (inaugurado em 16/11/1907).
A seguir, houve uma sessão de curtas-metragens e a distribuição de lanches a todos os convidados, jornalistas e figuras do mundo cinematográfico do Rio e de São Paulo.
Para o grande público, a inauguração deu-se à noite com o lançamento de "Monstro de um Mundo Perdido".
Fonte de pesquisa : Periódico "Cine-Reporter", de 15/04/1950.



Sala de espera do Nacional, na tarde da solene inauguração
Entre Dna. Ida, Dr. Florentino e o garoto Paulo Quintino de Oliveira, esposa, filho e neto de Julio Llorente, vemos José Serrador, filho de Francisco Serrador.
Pedro da Silva, gerente do cinema
Ademar Gonzaga, pioneiro da produção cinematográfica no Brasil, ao lado de Sra. Ida Llorente
Gerentes de quase todas as companhias cinematográficas do Brasil e do estrangeiro

Nacional (São Paulo - SP)


1949

PlayArte Bristol (São Paulo - SP)

Inauguração : 07/2003
Reinauguração : 20/10/2016
Exibidor : Playarte
Endereço : Av. Paulista, 2064 - Bela Vista
Shopping Center 3
Telefone : (11) 3289.0509
www.playartecinemas.com.br

Sala 1 - 444 lugares
Sala 2 - 144 lugares
Sala 3 - 144 lugares
Sala 4 - 177 lugares
Sala 5 - 133 lugares

Antes, cines Bristol e Liberty.
Destes cinemas, nada restou. Tudo foi demolido para a construção do novo complexo de salas de cinema.

Curiosidades :
O complexo de salas de cinema, inaugurado em 2003, tinha projeto arquitetônico assinado por Ruy Ohtake.

O PlayArte Bristol passou por uma intensa reforma e foi reaberto ao público em 20 de outubro de 2016. As cinco salas de cinema ganharam novas poltronas, com revestimento em couro ecológico, mais espaçosas e confortáveis. Todas as salas tiveram um upgrade no sistema de som Dolby digital, com mais potência e alcance. As bilheterias para compra de ingressos foram renovadas e o lobby do cinema foi repaginado. O Snack Bar agora está concentrado em um só lugar e a reforma deixou a bombonière mais ampla e moderna. Todos os sanitários foram reestruturados e ganharam um acabamento moderno.

2003
2003
2003
2003
2003
20/10/2016
Sala 1 - 20/10/2016






PlayArte Splendor Paulista (São Paulo - SP)

Inauguração pública : 12/10/2011
Filme inaugural :
"Os Três Mosqueteiros", de Paul N. S. Anderson, com Orlando Bloom e Milla Jovovich.
Exibidor : PlayArte
Endereço : Rua Treze de Maio, 1947 - Bela Vista
Shopping Pátio Paulista
Telefone : (11) 5053.6996
Duas salas tipo Premium (VIP) com serviço de garçom e poltronas de couro reclináveis.
Capacidade : 130 lugares em cada sala
www.playartecinemas.com.br


Cinematographos (São Paulo - SP)

Inauguração pública : 30/01/2016
Endereço : Rua Cardoso de Almeida, 1943
Telefones : (11) 3673.1883 - (11) 3803.8525
Projeção : Multimídia (Data Show)

A Casa Guilherme de Almeida inaugura em seu espaço Anexo a Sala Cinematographos, que conta com uma programação diversificada de filmes, semanalmente. O espaço tem capacidade para 45 pessoas e a entrada é gratuita.
Especialmente para a abertura foi exibido o filme “São Paulo, Sinfonia da Metrópole (1929), de Rudolf Lustig e Adalberto Kemeny, com trilha sonora ao vivo por Livio Tragtenberg. O evento contou com a presença do Secretário de Cultura do Estado de São Paulo, Marcelo Mattos Araújo. 
"Cinematographos” é o nome original da coluna que Guilherme de Almeida escrevia diariamente no jornal O Estado de S.Paulo entre os anos 1920 e 1940, pioneira da crítica cinematográfica em nosso país. Durante dezesseis anos ele produziu milhares de críticas de filmes das mais variadas origens e temas.
Com uma programação intensa, o novo espaço vem resgatar esse ofício do poeta, propondo a difusão, o debate e a formação sobre o cinema e seus diversos aspectos.
 


Cinesala (São Paulo - SP)

Programa exibido em 18/07/2016 no canal 15 da NET.


Cinesala (São Paulo - SP)

Conheça o site deste tradicional cinema de rua do bairro de Pinheiroswww.cinesala.com.br
Lá você encontra a programação de filmes em cartaz, informações de como chegar ao cinema, preço dos ingressos e muito mais. 
Fotos de Sérgio Israel.
Leia neste blog: 

VISUALIZAÇÃO NO SMARTPHONE

PARA UMA MELHOR VISUALIZAÇÃO DAS POSTAGENS NO SMARTPHONE, COM O CONTEÚDO COMPLETO E AS CORES ORIGINAIS, ROLE A PÁGINA ATÉ O FINAL E CLIQUE EM VISUALIZAR VERSÃO PARA WEB.

CLIQUE NA IMAGEM E VISITE A PANPAGE

CLIQUE NA IMAGEM E VISITE A PANPAGE
By Yago Moreira

CINE BELAS ARTES, À LA CARTE E PANDORA FILMES

Arquivo do blog

ACESSE O BLOG INICIAL


BIBLIOGRAFIA DO BLOG

PRINCIPAIS FONTES DE PESQUISA

1. Arquivos institucionais e privados

Bibliotecas da Cinemateca Brasileira, FAAP - Fundação Armando Alvares Penteado e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Mackenzie.

2. Principais publicações

Acervo digital dos jornais Correio de São Paulo, Correio Paulistano, O Estado de S.Paulo e Folha de S.Paulo.

Acervo digital dos periódicos A Cigarra, Cine-Reporter e Cinearte.

Site Arquivo Histórico de São Paulo - Inventário dos Espaços de Sociabilidade Cinematográfica na Cidade de São Paulo: 1895-1929, de José Inácio de Melo Souza.

Periódico Acrópole (1938 a 1971)

Livro Salões, Circos e Cinemas de São Paulo, de Vicente de Paula Araújo - Ed. Perspectiva - 1981

Livro Salas de Cinema em São Paulo, de Inimá Simões - PW/Secretaria Municipal de Cultura/Secretaria de Estado da Cultura - 1990

Site Novo Milênio, de Santos - SP
www.novomilenio.inf.br/santos

FONTES DE IMAGEM

Periódico Acrópole - Fotógrafos: José Moscardi, Leon Liberman, P. C. Scheier e Zanella.

Fotos com publicação autorizada e exclusivas para o blog dos acervos particulares de Joel La Laina Sene, Caio Quintino,
Luiz Carlos Pereira da Silva e Ivany Cury.

PRINCIPAIS COLABORADORES

Luiz Carlos Pereira da Silva e João Luiz Vieira.

OUTRAS FONTES: INDICADAS NAS POSTAGENS.