Ritz (São João) (São Paulo - SP)

Inauguração solene : 16/02/1943
Inauguração pública : 17/02/1943
Filme inaugural :
"Quando Morre o Dia", com Gene Tierney e Bruce Cabot.
Exibidor : Paulo Sá Pinto
Empresa Paulista Cinematográfica Ltda.
Endereço : Av. São João, 593 - Centro
Capacidade : cerca de 900 lugares
Depois, em 10/06/1958, cine Rivoli.
Em funcionamento ? : Não
O pequeno prédio onde funcionava o cinema foi demolido no final dos anos de 1960. No mesmo local, foi erguido um grande edifício, onde funcionou, a partir de 16/04/1981, o novo cine Ritz.
Curiosidades :
Exibia, exclusivamente, filmes da United Artists.
Ficou conhecido como Ritz São João, pois existia outro cine Ritz na Rua da Consolação.
A bilheteria do cinema criou filas enormes na Av. São João, com a exibição de filmes como “Gilda”, com Rita Hayworth, e “Santa”, com Esther Fernandes.

"Foi por muito tempo o meu cinema preferido, mas por uma razão: eu não pagava ingresso. Como? Ganhei uma permanente de um primo, coisas como essa que só ele sabia conseguir. Ele era um profissional do "jeitinho brasileiro". O Ritz pertencia à elite da cinelândia paulistana. Não era o maior nem o mais chique, era sim de bom gosto, como os demais daquela companhia que usava um grosso tapete com o mesmo desenho, em todos. Bem conservado, asseado, com um leve toque de perfume lavanda no ar. Os sanitários impecavelmente limpos, as louças brilhantes, os metais cintilantes, um conforto só igual aos hotéis de categoria. À noite, ele chamava a atenção de todos. Postado na entrada, ficava um Guarda-Cívil todo engalanado, como se fosse receber uma alta autoridade. A farda era cerimoniosa. Pois então, dava gosto freqüentá-lo. Lembro de um pormenor desses tempos, era sobre a educação das pessoas; difícil era ouvir engraçadinhos emitirem urros e outros sons grotescos. Um dia a minha vó me disse: sabe aquele Guarda-Cívil enorme que fica lá na entrada? Com minha afirmativa, ela concluiu: ele é meu sobrinho, filho da minha irmã Vitalina. Bem, diante desse fato, passei a ir ao Ritz com mais prazer. Dingo, como era conhecido por todos, foi pracinha brasileiro na II Guerra Mundial e esteve na Itália". 
Por Urbano Coaraci (do site "São Paulo Minha Cidade")




16/02/1943 - Noite da inauguração

1943

1943

1943

1943

1943

1943

1943

1953





Rivoli (São Paulo - SP)

Inauguração solene : 10/06/1958
Filme inaugural :
"A Volta ao Mundo em 80 Dias", de Michael Anderson, com Cantinflas.
Exibidor : Paulo Sá Pinto
Empresa Paulista Cinematográfica Ltda.
Endereço : Av. São João, 587 - Centro
Projeto : arquiteto Ibsen Pivatelli
Som e projeção : marca Simplex
Capacidade : cerca de 800 lugares
Antes, cine Ritz (São João).
Em funcionamento ? : Não
O pequeno prédio onde funcionava o cinema foi demolido no final dos anos de 1960. No mesmo local, foi erguido um grande edifício, onde funcionou, a partir de 16/04/1981, o novo cine Ritz.
Características :
Na reforma radical do antigo cine Ritz (São João), destaque para a cortina do palco, de tamanho gigantesco e em curva, onde foram usados 1200 metros de tecido estampado.
As portas de acesso à sala de espera eram de vidro temperado Blindex. O piso era de mármore e os tapetes foram confeccionados especialmente para o cinema. O teto da sala de exibição era emoldurado por uma cobertura estrelada dando a impressão de um céu aberto. As poltronas eram numeradas. Nas paredes da plateia foram fixados desenhos ornamentais executados em ferro de 3/4, e que faziam referência ao filme de inauguração. No palco, ficavam alguns instrumentos musicais como piano, bateria, baixo e outros. Músicos se apresentavam nos intervalos das concorridas sessões.



Ritz - São João (Novo prédio) (São Paulo - SP)

Inauguração pública : 16/04/1981
Filme inaugural :
"Feios, Sujos e Malvados", de Ettore Scola, com Nino Manfredi.
Exibidor : Empresa Sul Paulista
Diretor de publicidade : Caetano Abbruzzini Netto
Endereço : Av. São João, 597 - Centro
Capacidade : 600 lugares
Em funcionamento ? : Não. O local foi transformado em estacionamento.
Curiosidades :
O novo cine Ritz conservou o logotipo do cine Ritz de 1943 (fechado em 1954).
O novo Ritz foi instalado em um novo edifício erguido no mesmo local do pequeno prédio do antigo cine Ritz (depois Rivoli) demolido no final dos anos de 1960.
O novo Ritz, segundo Caetano Abbruzzini Netto, então chefe do Departamento de Publicidade da Empresa Sul Paulista, estava perfeitamente adaptado às condições do centro de São Paulo naquela época: "Dispensamos os luxos excessivos, porque nos preocupamos acima de tudo em oferecer conforto ao espectador. São 600 lugares, tamanho ideal para um cinema de centro, com um sistema de ar condicionado que funciona mesmo, projetor Simplex X-L e lanterna Xenon de procedência norte-americana, que dá maior nitidez à projeção".
A plateia do cinema tinha piso de borracha, paredes decoradas com chapas de ferro em forma de árvores, poltronas medindo 55 cm. de braço a braço (em geral, as poltronas de cinema tinham 50 cm. de largura), estofadas em napa marrom. Mas a grande atração do novo Ritz, segundo Abbruzzini, era a sala de espera - "a maior do Brasil" - com uma área de 480 metros quadrados, em forma de praça, com postes, bancos de ferro e carpete imitando grama. O luminoso na parte externa do prédio, em acrílico e com lâmpadas de neon era também outro ponto de destaque do novo cine Ritz, segundo Abbruzzini: "A noite, quando estiver aceso, ele iluminará boa parte da São João, e poderá ser visto desde a praça do Correios até a Avenida Duque de Caxias".








VISUALIZAÇÃO NO SMARTPHONE

PARA UMA MELHOR VISUALIZAÇÃO DAS POSTAGENS NO SMARTPHONE, COM O CONTEÚDO COMPLETO E AS CORES ORIGINAIS, ROLE A PÁGINA ATÉ O FINAL E CLIQUE EM VISUALIZAR VERSÃO PARA WEB.

CLIQUE NA IMAGEM E VISITE A PANPAGE

CLIQUE NA IMAGEM E VISITE A PANPAGE
By Yago Moreira

CINE BELAS ARTES, À LA CARTE E PANDORA FILMES

Arquivo do blog

ACESSE O BLOG INICIAL


BIBLIOGRAFIA DO BLOG

PRINCIPAIS FONTES DE PESQUISA

1. Arquivos institucionais e privados

Bibliotecas da Cinemateca Brasileira, FAAP - Fundação Armando Alvares Penteado e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Mackenzie.

2. Principais publicações

Acervo digital dos jornais Correio de São Paulo, Correio Paulistano, O Estado de S.Paulo e Folha de S.Paulo.

Acervo digital dos periódicos A Cigarra, Cine-Reporter e Cinearte.

Site Arquivo Histórico de São Paulo - Inventário dos Espaços de Sociabilidade Cinematográfica na Cidade de São Paulo: 1895-1929, de José Inácio de Melo Souza.

Periódico Acrópole (1938 a 1971)

Livro Salões, Circos e Cinemas de São Paulo, de Vicente de Paula Araújo - Ed. Perspectiva - 1981

Livro Salas de Cinema em São Paulo, de Inimá Simões - PW/Secretaria Municipal de Cultura/Secretaria de Estado da Cultura - 1990

Site Novo Milênio, de Santos - SP
www.novomilenio.inf.br/santos

FONTES DE IMAGEM

Periódico Acrópole - Fotógrafos: José Moscardi, Leon Liberman, P. C. Scheier e Zanella.

Fotos com publicação autorizada e exclusivas para o blog dos acervos particulares de Joel La Laina Sene, Caio Quintino,
Luiz Carlos Pereira da Silva e Ivany Cury.

PRINCIPAIS COLABORADORES

Luiz Carlos Pereira da Silva e João Luiz Vieira.

OUTRAS FONTES: INDICADAS NAS POSTAGENS.